alimento-organico

Artigo traduzido de: https://www.thebalancesmb.com/restaurants-go-organic-2538365

Restaurantes orgânicos apresentam oportunidades incríveis para produtores orgânicos, consumidores orgânicos, e a comunidade orgânica como um todo.

Com isso dito, talvez você ainda não tenha certeza se deve ou não transformar seu restaurante em orgânico ou não. Se você está em cima do muro, aqui vão as 10 melhores razões porquê você deveria considerar transicionar para comida orgânica no seu restaurante.

1. A popularidade da comida orgânica vem crescendo muito

As tendências de restaurantes mostram que a comida orgânica está ficando cada dia mais popular. Orgânico, o que costumava ser um termo referente a novidade, agora está muito mais em evidência, os consumidores estão ficando cada vez mais experientes a respeito das suas compras de comida orgânica. Pesquisas com consumidores mostram que 41% das pessoas estão procurando mais por comida orgânica do que a um ano atrás. Outra grande pesquisa aponta que metade dos adultos escolheriam sempre comida orgânica ao invés da convencional se pudessem.

O mais importante para donos de restaurante, os orgânicos vieram para ficar. Os dados mostram que quando uma pessoa “se converte” para o mundo orgânico, ela dificilmente volta a comprar comida convencional, mesmo com pouco dinheiro. Quando os consumidores estão apaixonados pela comida orgânica, os restaurantes podem seguramente entrar na tendência.

2. Restaurantes orgânicos podem ser lucrativos

Enquanto comprar produtos orgânicos é mais caro do que comprar produtos convencionais, os clientes estão cientes e dispostos a pagar por esse custo extra para comer de esse tipo de comida. Estudos apontam que consumidores estão dispostos a cortar outros custos para poder consumir produtos orgânicos.

Consumidores estão dispostos a pagar mais em restaurantes que servem comida orgânica ou produzida localmente. No total, 65% dos consumidores pagariam até 10% a mais em restaurantes voltados a esses tipos de público. 20% pagaria até mais que 10%. Visite também nosso artigo sobre como aumentar sua lucratividade.

3. Comida orgânica é ambientalmente responsável

Cultivar comida orgânica ao invés de comida convencional tem muitos benefícios para o solo. A prática da agricultura orgânica não somente protege o planeta, mas também ajuda a melhorar os problemas ambientais que temos hoje. Quando você investe no mercado orgânico para seu restaurante, você trás alguns benefícios, como:

  • Fazendas orgânicas ajudam a manter o solo mais saudável, resolvendo problemas de erosão;
  • Fazendas orgânicas ajudam a conservar e proteger o suprimento de água por ser menos agressivo;
  • Fazendas orgânicas são enxutas e dispensam maquinário, o que reduz a necessidade de uso de combustíveis fósseis no processo de produção;
  • Fazendas orgânicas incentivam uma biodiversidade mais saudável;
  • Fazendas orgânicas resultam em menos poluição do ar do que fazendas convencionais.

4. Comida orgânica é mais apetitosa que a convencional

Se seu restaurante oferece comida convencional, clientes experientes com comida orgânica sabem quando estão comendo um prato com pesticidas, hormônios e agrotóxicos.

Comida orgânica certificada, tem que ser livre de todos esses componentes citados acima, e com isso, com certeza a comida orgânica tem sabores muito mais atraentes que a convencional.

5. Comida orgânica ajuda a manter uma atmosfera mais sustentável

Orgânico não quer dizer exatamente sustentável, mas sugere um modelo mental mais sustentável, o que pode ajudar a melhorar a imagem do seu restaurante. Incorporar práticas sustentáveis no seu restaurante, como conservação de água, economia de energia, limpeza não tóxica, design sustentável e equipamentos ecológicos. Muitos clientes notarão sua responsabilidade social, e com certeza voltarão a frequentar o restaurante caso tenham uma boa experiência.

6. As opções de comida orgânica são muito variadas

Era muito difícil de se conseguir uma simples salada orgânica quando procurava-se em restaurantes. Agora, muitos restaurantes tem uma grande seleção certificada de produtos orgânicos para você escolher. Chefs focados nesse tipo de segmento, conseguem encontrar frutas, vegetais, massas, componentes de panificação, chocolates, mel, queijo, todos produtos orgânicos. Além do mais, orgânicos não significam somente verduras e vegetais, carne orgânica também está bastante disponível, desde presunto até a carnes mais finas.

7. Comida orgânica permite pratos criativos

Enquanto cara vez mais produtos orgânicos estão disponíveis. os restaurantes orgânicos e seus chefs devem manter um senso criativo muito único para manter um bom cardápio. A maioria dos donos de restaurante descobrem que a melhor maneira de manter os custos baixos é comprando orgânicos de produtores locais.

Com isso dito, nem todos os tipos de comida estão disponíveis o ano todo com esses fornecedores, ou até em fornecedores maiores, então o cardápio vai ter que se acomodar as estações. Cozinhar e planejar cardápios adaptados ao que a estação te oferece é um desafio, é também uma ótima oportunidade para testas novas opções e manter o cardápio sempre atrativo e variado.

8. Comida orgânica incentiva a comunidade local

De acordo com o Manual da fazenda orgânica, países com mais fazendas e fazendeiros tem economias mais fortes. Sendo um restaurante orgânico, você apoia diretamente a sustentar os produtores locais, e consequentemente, apoia a economia a estar cada vez mais desenvolvida. Além disso, orgânicos, pelos benefícios ambientais, ajudam a manter a comunidade limpa e saudável.

 9. Restaurantes orgânicos podem ajudar a aumentar a produtividade e a motivação dos funcionários

De acordo com a associação dos restaurantes verdes, muitos dos restaurantes certificados por eles, apontam mudanças positivas na produtividade e moral dos funcionários desses restaurantes. A hipótese da associação é que muitos dos funcionários do ramo, está entre 20 e 30 anos, e, o público que procura pelos produtos orgânicos está exatamente nessa faixa etária. Vagas para trabalhar num restaurante ecologicamente correto estão cada vez sendo mais procuradas. Atualmente as pessoas não querem só um emprego, querem também um emprego que faça alguma diferença para a comunidade ou para o mundo, a tendência dos orgânicos com certeza proporcionam essas características e tornam seus postos de trabalho mais motivadores.

10. Fazer campanhas de marketing para esse tipo de restaurante é muito simples

Marketing de restaurantes orgânicos acontecem naturalmente. Não tem coisa mais fácil do que vender comida fresca e saudável, pratos voltados a estação do momento, ingredientes livres de pesticidas e agrotóxicos. As pessoas compram muito ideias sustentáveis, e também, caso seu cliente seja um consumidor frequente desse tipo de comida (que como vimos, é algo bastante comum), você consegue conquistar o cliente por ser um dos poucos que oferecem esse tipo de produto.

Aproveite para ler nosso artigo sobre como desenvolver o cardápio de um restaurante, clique aqui para acessar.

tecnologia

Artigo traduzido e adaptado de: https://blog.typsy.com/6-ways-technology-can-make-your-restaurant-more-efficient-and-profitable

A história da tecnologia infiltrando uma indústria é sempre a mesma: adote a tecnologia ou fique para trás na competição com seus concorrentes. A indústria dos restaurantes está encarando um dilema hoje em dia mais do que nunca. Pedidos são feitos em Tablets, longos checklists de papel não são mais usados para avaliar inventário e, cartões de crédito são processados na mesa onde o cliente acabou de comer. Isso já é notado por muitos empresários do ramo.

Se você é um desses empreendedores do ramo, está percebendo algumas melhorias que seu restaurante pode fazer para ficar ainda mais competitivo através da tecnologia, mas não tem certeza de como utilizar, aqui temos algumas dicas que podem ajudar.

1. Invista em PDV’S inteligentes

Quando falamos sobre gerir um restaurante, o PDV escolhido é muito importante. Desde os chefs até os gerentes, garçons e clientes um PDV voltado para restaurantes vai cobrir quase todos os aspectos do seu negócio.

Optar por um sistema mais atual baseado em armazenamento na nuvem, com integração a smartphones e tablets ao invés do sistema tradicional muito limitado, pode ajudar no fluxo do restaurante todo e salvar muito tempo de todos os colaboradores. Uma citação que o site NerdWallet faz é, “os PDV’s podem fazer muito mais que apenar fazer os pagamentos hoje em dia, eles controlam seu estoque, mandam mensagens e e-mails para seus clientes, analisam o consumo dos clientes, ajudam no gerenciamento de funcionários e alguns tem mais algumas capacidades também.

Um sistema de PDV intuitivo pode fazer diversas coisas, desde criar um programa de fidelidade até acesso de métricas, em qualquer lugar e com uma conexão a internet, diferente dos sistemas antigos e obsoletos.

2. Mergulhe nos dados disponíveis

Uma maneira de realmente usar a tecnologia a seu favor é coletando a maior quantidade de dados possível para encontrar pontos de melhoria que aumentem a eficiência e os lucros. Estudar quais são as melhores métricas para acompanhar vão ajudar você e seus gerentes a capitalizarem as melhores partes da operação.

Por exemplo, acompanhar quais são os itens mais vendidos, dará aos seus gerentes opções e visibilidade do que mudar e do que manter no cardápio. Num nível mais alto, você pode também acompanhar quais os garçons mais eficientes e criar uma agenda com os melhores funcionários para os horários mais movimentados e cheios. Ter dados pode ser a evidência que você precisa para começar a fazer mudanças inteligentes no seu restaurante.

3. Simplifique a gestão de inventário

Apesar de ser uma das partes menos divertidas de um restaurante, a gestão de inventário é uma das tarefas mais importantes para tem certeza que a sua operação está fluindo bem. Quão bem você faz esse controle de estoque, impacta diretamente no início do seu processo, mas com as soluções corretas, você pode deixar o processo muito mais simples. Diga adeus aos dias de escrever tudo a mão com uma lista de itens, graças aos sistema de gerenciamento de inventário. Diminuindo desperdício e cortando custos são bônus adicionais além das horas que você vai poupar todas as semanas tendo um sistema automatizado.

4. Otimize sua presença online

Já postamos aqui um artigo sobre marketing digital de sucesso para restaurantes. Com milhões de responsabilidades que vem enquanto dono de um restaurante, muitas pessoas da indústria dos restaurante não estão muito preocupadas em quão bom é seus sites e mídias sociais, mas isso pode fazer toda a diferença. Você não precisa ser um mago digital para ter um site bem desenvolvido e redes sociais eficientes. Caso você não possa pagar por uma empresa que preste esse tipo de serviço, tente alguns aplicativos que simplificam essas criações como Wix ou WordPress. Tenha um site intuitivo, responsivo, completo e que acabe com a maioria das dúvidas dos seus consumidores.

Outro componente crítico da presença online de um restaurante é a qualidade e quantidade das avaliações. De acordo com o TripAdvisor, muitos países mais de 90% dos consumidores foram influenciado pelas avaliações de um restaurante antes de decidir onde comer, e mais de 60% dizem que encontrar fotos online também foi importante na decisão. Se você tem avaliações positivas, engajamento nas mídias sociais, e um site limpo, sua estratégia de marketing já está preparada para ser muito efetiva.

5. Utilize treinamento online

Existem muitas razões para dar uma olhada em treinamentos online, mas a mais destacável é o quão eficiente eles são. Treinamentos online para colaboradores de restaurantes não é só engajante para a pessoa que aprende, o colaborador também tem horários mais flexíveis. Ao invés de ter que criar um plano complexo do zero, você pode focar mais no restaurante e menos nesse tipo de problema.

Existe muita paixão envolvida quando se é dono de um restaurante, e as tradições que vem com ele são muito protegidas e valorizadas. Em qualquer estabelecimento, o foco é na comida, no ambiente e nos funcionários, isso é algo que a tecnologia não pode e nem quer mudar. Porém, a parceria com ferramentas digitais que a era moderna nos fornecem, e as tradições de longa data, podem ser a combinação perfeita para o sucesso de um restaurante.

Continue otimizando seu negócio gastronômico, saiba como aumentar seu lucro sem aumentar seus preços.

 

cozinha funcionários restaurante

Artigo traduzido e adaptado de: https://blog.typsy.com/8-tips-for-hiring-rockstar-restaurant-staff

O sucesso de qualquer negócio depende das pessoas. As pessoas que você contrata para trabalhar no seu restaurante vão definir a longevidade e a lucratividade do negócio. Pessoas adeptas a tecnologia, que tenham uma boa administração do tempo e tenham boas habilidades interpessoais são desejadas em qualquer ambiente de trabalho, mas existem outras coisas a se considerar quando falamos em contratação para restaurantes.

A indústria dos restaurantes enfrenta um chocante turnover de 73%, isso significa que de cada 10 contratações, 7 não dão certoSe você fizer as decisões certas desde o início das contratações, vai diminuir e muito o tempo e a energia de ficar repondo funcionários. Ler os currículos, entrevistar os candidatos, entre outros, essas dicas de contratação para restaurantes vão te direcionar corretamente para construir o time dos sonhos!

Contrate proativamente ao invés de reativamente

Quando nos referimos a contratação de funcionários para restaurante, você deve sempre ter um talento fresco na mente, uma pessoa que você possa chamar caso precise de um funcionário. Construa uma rede de contatos qualificados indo a eventos ou fazendo exercícios de contratação mesmo. Conheça um talento mesmo que atualmente ele não se encaixe no seu time. Desenvolva relações para manter essas conexões vivas, assim, você consegue saber quem chamar quando for necessário. Contratar proativamente permite que você contrate de um grupo qualificado, ao invés de só ler o currículo e chamar a primeira pessoa por não ter tempo.

De vez em quando você vai encontrar um Chef, um garçom ou um recepcionista incrível, se a pessoa for tão boa que você não pode perdê-la para os competidores, dê um jeito de contratá-la!

Estabeleça um programa de aprendizes

Uma ótima maneira de contratar proativamente é implementar um programa de aprendizes no seu restaurante. Similares aos estagiários, aprendizes são talentos frescos que estarão estudando algo relacionado a hospitalidade ou completaram o curso recentemente.

Tendo um programa de aprendizes, você pode desenvolver os talentos, ter perspectivas frescas do seu restaurantes, e, ganhar acesso a uma grande quantidade de pessoas bem qualificadas após a graduação.

Como você encontra novos aprendizes? estabeleça e mantenha relacionamento com escolas de culinária e programas de hospitalidade na sua região.

Peça indicações

Peça para pessoas que você confia por recomendações de potenciais novos funcionários! É mais fácil confiar em pessoas que são recomendadas por alguém de sua confiança do que em um currículo aleatório que você recebeu por um anúncio de emprego.

A indústria dos restaurantes tem uma comunidade bastante unida, talvez seus funcionários conheçam diversas pessoas talentosas por aí. Pergunte para seus melhores funcionários se eles não tem algum amigo que seria exatamente o que você está procurando para um cargo. Essa técnica não somente faz o processo de contratação ser mais sucedido, mas trazer pessoas que seus funcionários conhecem, ajuda a reforçar o aspecto de comunidade e confiança entre eles.

Quer manter as recomendações vindo a você? considere “gameficar” ou recompensar seus funcionários por recomendações, incentive eles a fazer isso e mantenha eles engajados.

Dê enfase na cultura do seu restaurante

Você pode pensar que seu restaurante é só mais um em um milhão, mas os candidatos as vagas sabem disso? Com tantos restaurantes por aí, e com tantas oportunidades de emprego nesse ramo, é crucial que você destaque seu restaurante durante o recrutamento. Como você pode fazer isso? Dê enfase na cultura do seu restaurante na descrição da vaga, site e também nos materiais de recrutamento.

Seus funcionários se juntam para almoçar como uma família? Seu ambiente de trabalho tem a cultura de aprendizado? Enquanto os salários na maioria dos restaurantes não varia muito, a cultura e os benefícios podem variar e muito. Use o que você já oferece para seus funcionários como vantagem para atrair melhores funcionários.

Se seu restaurante é ativo nas mídias sociais (se ainda não é, deveria ser), use seus canais de comunicação para mostrar essa cultura. Destaque seus funcionários, dê aos seus seguidores uma olhadinha por detrás da cortina, enfatize eventos que seu restaurante participa. Qualquer coisa que mostre para seus futuros funcionários como é trabalhar no seu restaurante, ajuda a contratar pessoas capacitadas.

Anuncie suas vagas nos lugares certos

Sites de vagas genéricos sempre vão atrair muitos candidatos com qualidades mixas. A não ser que você queira passar horas estudando currículos irrelevantes, não poste suas vagas nesses sites e ache que vai encontrar os melhores funcionários.

Ao invés disso, procure por sites ou agências especializadas na indústria da hospitalidade. Essa especialidade atrai candidatos experientes e bem qualificados.

Além da especialidade da indústria, você pode compartilhar sua vaga também com organizações locais ligadas a essa indústria, escolas e faculdades normalmente tem quadro de vagas, esses candidatos em processo de formação ou recém-formados são uma ótima aposta como já falamos anteriormente.

Procure por qualidades que seus funcionários atuais tem

Depois de ter anunciado suas vagas nos lugares corretos e começar a receber os candidatos, é hora de entrevistá-los para determinar quem é o mais adequado para seu restaurante, quando começar as entrevistas, eles podem parecer um pouco parecidos se tiverem os mesmos níveis de experiência.

Para encontrar o que mais se encaixa, julgue os candidatos baseados nas qualidades que seus melhores funcionários já tem. Faça uma lista dessas qualidades, depois, elabore perguntas específicas para os candidatos, assim, você terá respostas que ajudarão a determinar se eles possuem as qualidades que você busca. Boa sorte!

Contate os ex-empregadores

Depois de selecionar os melhores candidatos, tente contato com os antigos empregadores. Faça algumas perguntar difíceis, se possível, assim, você terá mais informações sobre o candidato e como ele trabalha, tenha certeza que não está contratando alguém que não é o que você precisa no processo seletivo.

Explique bem a descrição da vaga para os empregadores antigos e perguntei, como eles acham que o candidato vai se sair. Não esqueça de perguntar sobre inteligência emocional e social dos candidatos, que são especialmente importantes em negócios que são voltados para a equipe como um restaurante.

Tenha um período de teste/experiência

Alguma vez você contratou alguém que era perfeito no papel, foi muito bem na entrevista, teve recomendações estelares, mas não trabalhava bem com o restante do seu time? Você pode ter certeza que as contratações recentes são compatíveis com seu time colocando um tempo de experiência. Esse período de testes deixa você avaliar os candidatos completamente antes de efetivamente fazer a contratação.

Dê tudo que seu novo funcionário precisa para ser o melhor possível, diga a ele suas expectativas e o que normalmente ajuda ou atrapalha os candidatos nesse estágio em que ele está. Claro que é muito importante que haja remuneração normal nesse período.

Encontrar as pessoas certas para trabalhar no seu restaurante pode ser o sucesso ou a ruína do seu negócio. Seja muito rígido no processo de contratação para encontrar funcionários e líderes que serão fiéis. Técnicas como contratações proativas, pedir indicações e outras apresentadas com certeza ajudarão na hora de contratar os melhores funcionários.

 

Leia também nosso artigo sobre controle de insumos e de trabalho em restaurantes, clique aqui

 

 

Como aumentar preços cardápio

Artigo traduzido e adaptado de: https://blog.typsy.com/increase-menu-prices-without-losing-sales

Aumentar preços é sempre complicado, seus clientes naturalmente irão reconhecer essas mudanças e poderão ter reações negativas. Lembre-se que não é sempre pelo aumento do preço, normalmente pessoas não são muito receptivas a mudanças, pelo menos não a esse tipo de mudança!

O preço para o consumidor continua subindo, comida e sustentabilidade continuam a serem testados no mercado. No geral, logicamente os clientes esperam que os preços aumentem, a recomendação é ser o mais estratégico possível, manter a rentabilidade e oferecer as melhores opções para os seus clientes.

Não existe magias para resolver esse desafio. Clientes vão ao seu estabelecimento por muitas razões, lealdade e confiança são apenas duas delas. Se você fez tudo corretamente para manter o controle dos seus custos e oferece os melhores itens possíveis no seu cardápio, então é hora de dar uma checada nos seus preços. Qualquer mudança de preço (aumento) deve ser feito com cuidado excessivo.

Cheque seu cardápio

Não mude o design do cardápio só para mudar os preços, se precisar, mude os preços numa reimpressão do cardápio atual. Nunca risque preços num cardápio ou coloque uma fita branca para colocar um novo preço (maior), parece amador, bagunçado e é muito mais perceptível para os clientes que houveram mudanças nos preços.

Quando nos referimos a escrever no cardápio, tenha certeza de usar linguagem descritiva que seja voltada para vender seus produtos, ao invés de colocar só o nome do prato seguido do preço. Por exemplo, “Filé de Salmão grelhado com vinho branco e Mix de ervas da casa – R$ 21,99” é muito mais apelativo e convidativo que simplesmente, “Filé de Salmão – R$ 21,99”.

Também evite listar seus itens baseados no preço, isso pode se tornar um fator de decisão quando os clientes forem fazer seus pedidos. Itens listados em ordem decrescente do maior para o menor, pode fazer com que os clientes pulem direto para os itens mais baratos sem nem considerar as demais opções. Misture um pouco para ajudar que seus itens se vendam, também é bom a mistura pois a diversidade pode despertar a curiosidade, lembrando sempre da importância da linguagem descritiva.

Não se esqueça que o cardápio é um dos seus principais aliados, trabalhar bem nele para tirar o máximo de vantagens possível é essencial. Se ele estiver bem organizado, e seus produtos estiverem bem descritos, a venda é bastante facilitada.

Aumente os preços pouco a pouco

Se você está considerando aumentar o preço dos itens real por real, por exemplo um aumento de R$16,90 para R$17,90, tenha cuidado, definitivamente essas mudanças serão notadas pelos clientes. Uma sugestão é fazer pequenas mudanças nos preços, por exemplo, uma mudança de R$0,25 é muito mais provável passar despercebida que uma de R$1.

Também é importante que você evite aumentar todos os preços de uma vez só. Essa estratégia pode acabar sendo pior para você, clientes tendem a ir para opções mais baratas (popularmente conhecidas como “seus concorrentes”). Se você está considerando fazer isso, pense em fazer mudanças sazonais então.

Se você tem itens que passam por mudanças de preços o tempo todo, considere listar esses itens como “a preço de mercado”. Essa alternativa é muito boa para itens como frutos do mar que passam por diversas mudanças no insumo, só é importante manter seus garçons informados desses preços para que possam repassar para os clientes.

Se você não está seguro de que aumentar os preços é a opção correta para o seu negócio, aqui estão algumas outras opções:

1. Mantenha seus preços como estão, mas diminua o tamanho das porções. Comece verificando os pratos que voltaram para a cozinha. Veja se encontra clientes que deixaram grandes quantidades de comida, é provável que uma redução em um item que é comummente deixado nem seja notada e diminuirá bastante o desperdício.

2. Treine seus funcionários para vender, no fim das contas, o garçons são seus vendedores. Tenha certeza que eles tem suporte e treinamento necessário para vender seus produtos, no fim das contas é vantagem para todo mundo.

Os clientes são bastante experientes quando se diz respeito a comida que eles conhecem e gostam. Se você precisa aumentar os preços do cardápio, eles vão entender, só tenha certeza de fazer esses aumentos quando realmente for necessário.

Aproveite e confira nosso artigo sobre Como aumentar seus lucros!

 

A Uber Eats testará a entrega de comidas utilizando drones ainda neste ano, durante o verão no Hemisfério Norte (entre junho e setembro). A empresa anunciou a novidade no dia 12 de Junho, durante o evento Uber Elevate Summit, que acontece na cidade de Washington. O local escolhido para o experimento foi San Diego, na Califórnia.

A Uber tinha anunciado a pretensão de usar drones para entregar refeições no ano passado, mas agora o plano está prestes a virar realidade. O primeiro parceiro será o McDonald’s, mas a ideia é expandir a quantidade de opções ao longo do ano. Clique aqui para continuar lendo.

avaliações

Artigo traduzido e adaptado de: https://blog.typsy.com/how-to-respond-to-negative-online-reviews

Você vai ao trabalho como qualquer outro dia, vê algumas notificações de uma grande plataforma de avaliações. Seus clientes avaliaram a experiência, os pratos, atendimento. A maioria das avaliações são positivas, mas de repente, você vê uma avaliação negativa: um dislike, avaliação de uma estrela só, talvez escrita só em maiúsculas. Como você vai responder? Você deveria responder afinal?

Existem diversos sites de avaliações por aí, com plataformas como Tripadvisor ou Google Reviews, eles garantem que estabelecimentos possam receber os feedbacks instantaneamente e tenham a chance de competir por popularidade também online. Eventualmente vai acontecer de seu estabelecimento ter uma avaliação negativa, talvez duas, dez, um dia elas chegarão, o importante é saber como lidar com elas.

Receber avaliações negativas nunca vai ser bom, mas é importante que ao invés de ignorar o feedback dos clientes, você desenvolva uma maneira de responder que atenda as necessidades deles e também as suas. Clientes deixam avaliações negativas por um grande número de motivos, mas alguns são só por alguma frustração ou um desejo de ser ouvido. Recomendamos sempre que responda as avaliações, mas garanta respostas positivas e construtivas, mesmo que o seu desejo seja só discutir e argumentar. Aqui vão algumas dicas para garantir que seu estabelecimento continue respeitado e, que seus futuros clientes não fiquem desmotivados se virem as avaliações negativas.

Tenha certeza do que ocorreu

Planejando responder a uma avaliação e um pouco preocupado com as acusações que foram feitas? Antes de responder, dê um passo atrás e angarie o máximo de informação que você conseguir. Se você está gerenciando um restaurante e um cliente deixou uma avaliação ruim, veja quando ele esteve no restaurante, qual foi o pedido, quem o atendeu, assim fica mais fácil de cruzar informações com as deixadas na avaliação. O importante é saber o que realmente aconteceu e os possíveis erros que podem ter ocorrido, tenha certeza de saber dos fatos antes de responder.

Abrace as avaliações

Independente se o feedback que você recebeu seja construtivo ou agressivo, é vital que na sua resposta, agradeça o cliente pelo feedback. Sua resposta a uma avaliação será sobre o que foi escrito diretamente, mas também, será lida no futuro por inúmeros outros clientes. Lembre-se de quando escrever a resposta, seja preciso e claro, mostrando aos seus futuros clientes a melhor maneira de se portar em frente a uma crítica, também, o que eles vão esperar quando visitarem seu estabelecimento.

Desculpe-se e explique-se

Mesmo que você ache que o erro foi seu, ou ache que o cliente está exagerando, aquela palavra de 8 letras, “desculpa”, é sempre importante e muito útil. Garantir um pedido de desculpas na sua resposta, pode mitigar uma futura resposta agressiva. Tenha ciência de que sendo simpático e compreensivo, você pode ajudar o cliente a superar a frustração que ele teve. Se tiver uma explicação para a reclamação dele, como um elevador quebrado, um funcionário que passou mal, estava com muitos pedidos na cozinha, tenha certeza de sempre explicar o seu motivo. Essa parte não é para criar desculpas, mas sim para contextualizar e assim, talvez conseguir um pouco de empatia do cliente.

Olhe para o futuro

Se você sentir que uma reclamação de um cliente é válida, pode ser uma boa ideia dizer a eles os passos que você vai tomar para garantir que o erro não aconteça novamente. Simplesmente dizer para o cliente que você irá rever alguns processos a respeito do que ele reclamou, ou deixar claro o quão sério você está levando a preocupação dele pode ser muito positivo. Mencione que a excelência do serviço é a prioridade, e faça com que eles percebam que a reclamação dele está sendo levada a sério e terá algum efeito.

Ofereça um futuro diálogo

Por último mas não menos importante, mantenha a conversa aberta. Enquanto alguns lugares escolhem oferecer um desconto como resposta para uma avaliação negativa, nós não recomendamos isso, ou, caso você queira oferecer um desconto para o cliente, não faça isso publicamente, envie por e-mail ou por alguma outra forma de comunicação mais direta. Em sites de avaliação, a melhor maneira é manter a comunicação aberta e clara, deixe claro que quer ver o cliente novamente na sua loja. Se você achar que precisa conversar um pouco mais com o cliente, ofereça um endereço de e-mail ou um número de telefone para contato.

Em resumo, seja ético, profissional e entenda que, independentemente de você estar errado ou não, o cliente não ficou satisfeito com a experiência. Mas lembre-se que normalmente eles só querer ser ouvidos,garanta que a sua resposta não seja algo genérico, pois isso será lido por futuros clientes potenciais. E o mais importante, use essa avaliações como aprendizado.

 

Wall Street experimentou pela primeira vez a carne de mentira, um sucedâneo à base de proteínas vegetais produzido pela Beyond Meat. A empresa tem entre seus primeiros investidores o ator Leonardo DiCaprio e o guru da tecnologia Bill Gates, e nesta quinta-feira suas ações começaram a ser negociadas no Nasdaq com uma avaliação inicial de 1,460 bilhão de dólares (cerca de 5,792 bilhões de reais). A expectativa era tão alta que, no final da sessão, teve uma valorização de 163%, ultrapassando os 65 dólares por ação. O objetivo da empresa é replicar a estratégia que transformou a indústria de laticínios e encheu as prateleiras de coisas que parecem leite, mas não são, como as bebidas de soja ou de amêndoas. Mas o desafio que enfrenta é colossal. Clique aqui para continuar lendo

aumentar lucro

Artigo traduzido e adaptado de: http://blog.typsy.com/increasing-profit-without-increasing-price

Existe um balanço delicado nos serviços de gastronomia quando se refere a lucro e a precificação. Aumentar os preços muito rapidamente pode preocupar seus clientes, e não aumentar, pode causar problemas para o seu modelo de negócio. Não perca a cabeça com isso! Existem outras maneiras de aumentar o lucro sem aumentar os preços no seu cardápio.

Primeiro, você realmente acha necessário o aumento nos lucros? isso vai resolver o problema? Uma conta bem básica que pode ser feita é qual a média de gasto por mesa do estabelecimento, o cálculo é o seguinte:

Faturamento / número de mesas atendidas = média de gasto por mesa.

Isso é um cálculo simples e provavelmente o seu sistema de vendas já faz isso. No entanto, isso não aumenta seu faturamento (ainda), mas já te dá uma indicação de quanto seus clientes gastam quando vão ao seu restaurante.

Agora que você tem ideia do quanto é gasto por refeição, é hora de aumentar os lucros. Vamos ver algumas estratégias para ajudar o seu negócio a se tornar mais lucrativo.

Diminua o tamanho das porções

Pense no que ficou no prato de um cliente depois da refeição, isso é só desperdício e lucros que são perdidos. Na maioria dos casos, consumidores preferem comida de maior qualidade em porções menores do que produtos baratos feitos com ingredientes inferiores. Lembre-se que os clientes não estão dispostos a pagar mais por produtos de menor qualidade.

Seja cuidadoso quando estiver diminuindo o tamanho da porção, você deve considerar o impacto potencial disso nos seus clientes, mas ao mesmo tempo, criar resultados favoráveis para o seu negócio. Pratos menores parecem mais cheios para o consumidor e pode ser o que vai solucionar a decisão de diminuir o tamanho da porção. Pratos servidos com os componentes mais próximos uns dos outros parecem mais abundantes e satisfatórios do que uma porção perdida sozinha num prato enorme.

Lembre-se de que o tamanho da porção dos pratos é uma medida definida pelo gerente ou pelo chef que varia de estabelecimento para estabelecimento (a não ser que você faça parte de alguma franquia em que tudo é pré-determinado). Tenha cuidado: quando um tamanho de porção estiver definido, ele deverá permanecer consistente e não mudar o tempo todo. Seus clientes também buscam consistência no que você oferece e eles veem o valor nos seus produtos quando pedem de acordo com as quantidades.

Mude as receitas

Essa talvez seja uma boa oportunidade para pegar as receitas na prateleira, passe por elas ingrediente por ingrediente e veja se existe qualquer coisa que pode ser mudada ou atualizada. Essas mudanças vão afetar drasticamente seu lucro, porém, talvez não da maneira que você espera.

Se tiverem muitas alterações frequentes, obviamente, a consistência do seu produto será afetada, seus clientes vão sentir e você arrisca perder vários deles. Um custo menor no produto pode significar menor qualidade e consequentemente, menos clientes, tudo isso resultado das mudanças feitas. Tendo dito isso, atualizar suas receitas deve ser uma boa prática e deve ser feita de tempos em tempos, e também não deve ser feito com todos os itens do cardápio simultaneamente, isso seria refazer o cardápio.

Ajuste a qualidade dos seus produtos

Isso não é algo ruim. Veja todas as especificações de cada item dos ingredientes do seu menu. Como mudanças nesse nível afetariam as compras, produção ou ciclos de serviço no seu estabelecimento?

Os molhos que usa devem todos ser preparados na casa com ingredientes frescos? Será que um molho enlatado de boa qualidade não será o suficiente para a receita? Dependendo da sazonalidade, o produto enlatado pode se mostrar com maior qualidade. Talvez usar algum ingrediente pré-cozido com melhor custo pode diminuir algum custo?

Faça que as vendas sejam as melhores amigas dos seus funcionários

Com o treinamento apropriado, o que aconteceria se você aumentasse a média de consumo por pessoas em R$ 5 em 50% dos consumos? Como isso afetaria o seu lucro?

Usar técnicas de venda efetivamente pode aumentar o gasto médio dos seus clientes, é uma ótima maneira também de sugerir que eles experimentem pratos novos ou diferentes. Você verá um aumento no seu faturamento total depois de treinar seus funcionários. Mas garanta alguma comissão ou que pelo menos eles estejam ganhando gorjetas, é importante mantê-los motivados.

Aumente o lucro negociando com seus fornecedores

Trabalhe com seus fornecedores para manter os preços, pelo menos durante o ciclo de vida do seu cardápio. Se os custos com insumos começam a aumentar já nas primeiras semanas do cardápio, todas as vantagens para maximizar os lucros serão perdidas. Recriar, recalcular custos e definir novos preços com poucas semanas do cardápio ativo, trará efeitos negativos nos seus clientes.

Apesar de todas essas estratégias serem efetivas em melhorar seus lucros, tenha cuidado em não decepcionar sua base de clientes, a maneira de protestar deles será marchar até o restaurante concorrente no outro lado da rua.

 

Veja também nosso artigo de como fazer dinheiro de acordo com Ram Charan

 

O cardápio está para o restaurante assim como o coração está para o corpo humano. Trata-se de um instrumento vital para a saúde do seu negócio, e que deve ser elaborado com base no que o estabelecimento pode oferecer de melhor para seus clientes, uma vez que esta ferramenta já comunica muito sobre sua marca. Disposição dos pratos, design, ortografia correta, entre outros aspectos são fundamentais para que seu cardápio cause um impacto positivo no público. No entanto, outro fator importante desperta dúvida em muitos proprietários de bares e/ou restaurantes: ter um cardápio com foto ou sem foto dos pratos nas opções? Clique aqui para continuar lendo

Artigo traduzido e adaptado de: http://blog.typsy.com/how-to-develop-a-restaurant-menu

Não importa se você está desenvolvendo o seu primeiro cardápio ou se está planejando reinventar o atual – você precisa de uma estratégia definida para seus pratos e bebidas.

Se você está desenvolvendo o seu conceito, já está no caminho certo. O cardápio do seu restaurante está lá para dar sentido a experiência dos convidados, enquanto entrega também emoções e a personalidade da marca. Tudo isso é essencial para o conceito de um restaurante.

Para desenvolver um cardápio de comidas e bebidas memorável, no entanto, você precisa entender qual é o seu público-alvo. Você deve também fazer uma análise local (competitiva), visando entender os fatores econômicos locais.

Se você está começando, desenvolver um conceito de cardápio vai ajudar você, e seu arquiteto a desenvolver o ambiente, a cozinha e os layouts do restaurante, visando também produtividade, estoques e preparação.

Aqui estão algumas dicas para te ajudar a começar.

1. Desenvolva o conceito do seu cardápio

Primeiro e mais importante, você deve perguntar a você mesmo, “pelo que eu quero que meu restaurante seja conhecido ?“. Você vai ser o melhor restaurante do que da sua região? A partir daqui, você pode começar a desenvolver um padrão de sabores com elementos de suporte do tipo cores e texturas que vão entregar essa ideia.

O objetivo é manter simples e memorável. Tente manter no máximo 32 itens no cardápio para otimizar a produtividade, minimizar a confusão e ansiedade entre seus clientes. Lembre-se, os clientes querem tomar a decisão do prato em menos de 120 segundos.

Reserve um tempo para listar o que você gostaria de ter no cardápio, e caso tenha muita coisa, comece a reduzir esses itens.

2. Desenvolva uma lista com ingredientes base

Desenvolver um cardápio ou um prato/drink em específico pode demandar de muitas tentativas e erros. É importante entender seu conceito e o público-alvo enquanto você trabalha com sabores que vão fazer com que seus clientes digam “Uau!”.

Faça uma lista de ingredientes base que vão entregar esse fator de surpresa no seu cardápio. Você também deve considerar quanto pode reaproveitar ingredientes crus o máximo possível para reduzir os custos e a perca. Quando considerar ingredientes, tente usar o máximo dos produtos que estiverem disponível por perto de você – por exemplo, nessa época, a cidade tem uma alta no fornecimento de determinada carne ou de algum fruto do mar. Aproveite os possíveis preços mais atrativos e desenvolva pratos com esses ingredientes também.

3. Investigue a sua cadeia de suprimentos

Agora que você conhece o conceito dos ingredientes base, onde você pode encontrá-los?

Você deve reduzir seus riscos (e consequentemente, os custos), eliminando o máximo de terceirizados na sua cadeia de suprimentos. Quando estiver planejando seu cardápio, liste alguns fornecedores, incluindo dados históricos da empresa, recalls de produtos, onde estão os estoques e a logística das entregas. Construa uma lista com dois ou três açougueiros locais, fornecedores de frutos do mar, bebidas não industrializadas, vinícolas e outros produtores que achar relevante.

4. Descubra os custos dos seus itens de cardápio

Usando um programa de gerenciamento de receitas como o Menu Control, você conseguirá analisar o seu conceito de cardápio, as porções servidas, e também os ingredientes base presentes nas receitas.

Baseado no conceito, nos ingredientes, e no custo de cada fornecedor, o item do seu cardápio pode ser precificado de acordo com o seu público-alvo e a economia local? Existe maneiras de lucrar no local em que você está atuando? Os clientes estarão dispostos a pagar pelos pratos? qual é a média que você pretende lucrar por cliente?

Aqui é onde ter um plano de negócio bem definido vai ajudar a entender os indicadores chave necessários para ser um restaurante de sucesso.

5. Reveja suas louças e copos

Agora que você tem o conceito inicial de custos definido, pode seguir para o próximo passo. Muitos donos de restaurantes se esquecem dessa parte. É o tempo de considerar como os seus convidados vão comer e beber o que você tem no cardápio.

Como vai ser a aparência desses itens no prato ou no copo? Como as cores vão contrastar umas com as outras? O prato ou bebida é digno de um post no Instagram? Quais pratos vão precisar de quais talheres? Se o prato está disponível para entrega, como ele vai estar depois de 10 ou mais minutos na embalagem até o seu destino?

O ideal é “empratar” um produto de três maneiras diferentes, testar, tirar fotas, testar por quanto tempo ele ainda está bom para o consumo no caso de entregar. Novamente, tentativa e erro eventualmente leva a perfeição.

6. Rode uma cozinha de testes

Esse é provavelmente o aspecto mais empolgante – testar os sabores! Será que os itens do cardápio estão chegando as expectativas? ultrapassando? Dê para cada item alguns toques especiais e decida o melhor. Traga outras pessoas para o processo e não fique com medo dos feedbacks que vai receber, mantenha-se aberto para críticas. Você pode tirar fotos para colocar as fotos dos pratos nas mídias sociais e ver qual tem maior engajamento baseado no visual.

No fim das contas, a chave para para um cardápio rentável e memorável é manter ele pequeno e focado nos itens que você quer que sejam conhecidos – Enquanto isso, diferencie seu conceito dos concorrentes locais e ofereça um bom equilíbrio entre preço e experiência. Essa é a receita do sucesso!